Genomma fala sobre depressão em seu mais recente álbum

Como Reverter a Entropia do Universo teve inspirações em conto de ficção

científica e na saúde mental do vocalista >>>


Estreou ontem (25) o segundo disco da banda jundiaiense, Genomma. Como Reverter a Entropia do Universo chega em todas as principais plataformas de streaming e conta com dez músicas que abordam os estágios da depressão que o vocalista passou durante o processo de produção do álbum. Segundo o grupo, esse novo projeto é um convite para uma viagem interna rumo ao próprio universo.


Três anos após o lançamento do seu disco de estreia (Além dos Muros de Jornais), Felipe Schadt (vocalista e compositor), Jeckson Fernandes (guitarrista), Thiago Foratori (baixista) e Fabi Bracco (baterista), voltam a lançar, de maneira independente, um trabalho de estúdio. O novo álbum da Genomma, banda com mais de 12 anos de estrada no cenário independente, foi produzido durante todo o período de pandemia que obrigou a banda a ficar longe dos palcos por dois anos. O isolamento social não afetou só a agenda de shows, mas também a saúde mental do vocalista e compositor, Felipe Schadt.


"Assim que comecei a identificar os sintomas da depressão, resolvi externá-los em forma de música. Sentei ao meu piano, experimentei alguns acordes e coloquei no papel tudo o que eu sentia", conta Schadt que no mesmo período tinha acabado de ler um conto do escritor de ficção científica, Isaac Asimov, intitulado A Última Pergunta. "Esse conto mexeu muito comigo, pois ele fala sobre o fim do universo, o fim de tudo por meio da entropia", completa.


Entropia é uma propriedade da termodinâmica que representa a dissipação de energia de um corpo. Segundo teorias, o universo está se expandindo e perdendo energia, ao passo que chegará um momento em que não haverá mais energia no cosmos, decretando assim o fim do universo. "No conto do Asimov, esse dia chega, mas há uma saída, uma única saída para reverter a entropia do universo", explica o vocalista.


Inspirado nessa história e na sua saúde mental, Felipe Schadt propôs para o restante da banda, um álbum que tratasse da depressão a partir de uma ótica que enxergava cada pessoa como um universo particular. "Se cada um de nós tem seu próprio universo, penso que a depressão é uma forma de entropia e fiz a seguinte pergunta: 'como reverter a entropia do nosso próprio universo', foi aí que o álbum nasceu", finaliza o compositor.


Cada música, um estágio da depressão


Durante o segundo semestre de 2021, a Genomma lançou quatro singles do novo álbum. Além de servir como divulgação do novo trabalho, as músicas permitiram aos fãs entenderem qual seria a tônica do próximo trabalho da banda. Segundo Jeckson Fernandes, os lançamentos foram importantes para aquecerem as redes de divulgação do grupo. "Ficamos basicamente dois anos sem nenhum lançamento e os singles serviram justamente para mostrar que a banda estava trabalhando a todo vapor", explica o guitarrista e responsável pelos lançamentos nas plataformas de streaming.


Os quatro singles lançados representam as quatro fases principais que o vocalista viveu durante sua depressão. O primeiro single, Metade do Céu, fala sobre o momento de ruptura que existe entre o mundo que, até então era perfeito e fazia sentido, para um mundo obscuro e cheio de dúvidas. É basicamente uma ode aos gatilhos que fizeram Felipe Schadt entrar em estado depressivo. Metade do Céu ainda ganharia uma versão acústica.


Já a segunda música lançada, A Terra Sob Mim (Eu Sei), é uma balada densa e obscura que fala da escolha de se cometer suicídio. Além disso, é uma homenagem à Cibele Schadt, prima do vocalista que, há dez anos, resolveu abreviar a própria existência. A mensagem desse single é de que devemos entender as dores daqueles que não conseguiram vencer a depressão.


O terceiro lançamento foi Mar Aberto, que traz em sua letra o momento que Felipe Schadt entendeu que é preciso aceitar a condição de depressivo e mergulhar fundo na própria doença para só assim compreendê-la e conseguir lidar com ela da melhor maneira possível. Aceitar que está doente é o primeiro passo para a cura.


Por fim, o último single lançado foi Fogo e Não Fagulha, uma canção cheia de energia que deixa claro que a depressão só se vence quando se pede ajuda. É inclusive uma máxima da banda sobre o assunto: "busque ajuda profissional e faça terapia". Este último single, já ultrapassou a marca de 8 mil plays só no Spotify e está presente, há quase 12 semanas consecutivas, em uma das maiores playlists do gênero, o Pátria Rock que conta com cerca de 350 mil seguidores e uma lista com músicas de grandes artistas nacionais como Fresno, Detonautas, Pitty entre outros.


Todos esses singles ganharam produtos audiovisuais como lyric videos e vídeo-clipes para a divulgação da banda. Esse material está disponível na página da Genomma no YouTube.


Além dessas composições, o álbum conta com mais seis faixas que complementam a história contada no disco. Uma das grandes sacadas da banda foi criar um projeto musical muito similar ao que se fazia entre os anos de 1970 e 1990, momento em que era comum ouvir um disco na íntegra. "Nosso álbum faz mais sentido se for ouvido inteiro e na ordem, pois contamos uma história ali e cada música é um capítulo", explica o vocalista. "É basicamente uma grande música dividida em dez partes", complementa.


E quem ouve as músicas na sequência sugerida realmente pode ter essa sensação, pois no trabalho de produção, as músicas são claramente emendadas umas nas outras dando a impressão de continuidade e fluidez. "Foi o grande desafio desse disco, mas a ideia veio logo no começo e achamos que seria, além de possível, muito legal", conta Windi Ribeiro, produtor da banda e engenheiro de som.


O álbum começa com um instrumental de baixo, que serve como o despertar suave para uma jornada, e termina com um poema intitulado de A Última Resposta, que é a conclusão da pergunta que o álbum faz o tempo todo: "é possível reverter a entropia do universo?". "Esse poema foi de fato a última composição que fizemos para esse trabalho e ele é um ótimo fechamento para essa história que resolvemos contar, pois ele resolve a charada e me ajudou muito a entender como eu deveria olhar para a depressão", explica Schadt.


Para alguns fãs sortudos, a letra da última faixa nunca foi um segredo. Em uma ação de marketing, a Genomma enviou algumas dezenas de cartas via Correiros com uma série de brindes da banda, incluindo o poema. "Essa ação foi o nosso primeiro convite a essa viagem que esse álbum sugere", conta Jeckson Fernandes.



#música #estreia #FogoENaoFagulha #setembroamarelo #playlist #spotify #Fresno #Pitty #Supercombo #Detonautas #Genomma #CRAEDU #MudarOMundo

Faixa.png